31 de outubro de 2014

Trick or treat?!

Boys and girls of every age
Wouldn't you like to see something strange?

Come with us and you will see
This, our town of Halloween! 

This is Halloween, this is Halloween...

Êba! Chegou o dia mais legal do ano, e deixei pra postar o projeto fotográfico do rotaroots hoje, já que o tema era gostosuras ou travessuras
Mais um mês onde eu peço desculpas por não ter feito fotos decentes, mas eu não estou passando pela fase mais criativa da minha vida... De qualquer forma o que saiu, saiu com amor, hehehe. 
Algumas das fotos eu acabei tirando com o celular, em momentos daqueles que você não pode deixar passar, sabe? Então pode ser que a qualidade deixe a desejar por motivos de câmera do celular + luz do fim da tarde. 







Eu intercalei uma gostosura com uma travessura, ou algo do tipo! hahahahahhaha... Pra mim a foto mais legal de todas é a da minha prima fazendo bagunça no chão da casa com tinta spray para cabelo. Tem espécie melhor pra fazer travessuras do que criança? 
E essa pitanga que eu achei. Não curti muito o sabor, mas parece uma mini abóbora, né? Deu vontade de pintar uma carinha nela ハロウィン.
E hoje eu vou numa festa a fantasia e depois vou mostrar pra vocês a fantasia escolhida, tá? Aguardem e confiem, sempre lembrando que comigo quase tudo acontece no improviso.

Feliz dia das bruxas pra todas as maravilhosas bruxas aí fora (inclusive pra mim)ドキドキ .


Esse post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots, um grupo de blogueiros old school que nutrem até hoje o amor por fazer um bom blog pessoal aos moldes clássicos. Quer fazer parte dessa galera? Cadastre-se no rotation e participe do grupo do facebook também.

30 de outubro de 2014

Torei o cabelo e a crise...

Sexta feira passada eu fui pra casa da minha avó ficar um pouco com a família e ser feliz. Fui decidida a conversar com a minha tia, que também é minha cabeleireira oficial, sobre a transição capilar e o que poderíamos fazer para facilitar o processo. 
Eu passei o fim de semana todo doente, perdi 3kg, fiz uma tatuagem e no fim do fim de semana resolvemos cortar toda a bagaceira e doar pro hospital do câncer. Calma que eu vou falar sobre tudo isso.
Eu realmente precisava mudar (ainda estou precisando mudar várias coisas, na verdade). Estou passando por uma fase difícil e basicamente a única coisa que tenho conseguido fazer direito nos últimos dias é dormir. Então essas mudanças me fizeram bem, estou melhorando aos poucos e um pouco mais animada com as novidades. 
No sábado nós fomos no estúdio em que fiz minha primeira tatuagem e nos rabiscamos um pouco (nós = minha tia e eu). Minha tia cobriu uma tatuagem antiga que ela tinha enjoado, e no lugar ela fez uma rosa incrível em tons de cinza. Eu fiz uma das pequenas tatuagens que tinha na minha lista de pequenas tatuagens. "The truth is out there." eu escrevi no braço esquerdo, na parte de trás. Acho que dá pra saber o significado, mas antes que alguém fique na dúvida, não é uma mera homenagem à série Arquivo X, mas também expressa um pensamento que me acompanha desde sempre, algo muito importante na minha vida e personalidade. Mas whatever, também não é importante ficar explicando o significado de qualquer tatuagem né gente? No final eu amei o resultado. Ela ficou toda pequenininha e delicada, e quase não doeu pra fazer. Estou muito feliz ラブラブ!.
Essa é minha nova tatuagem linda. 
Um dia antes de eu vir embora, no domingo, nós toramos o cabelo, e fez uma diferença muito grande, Meu cabelo estava muito comprido, então deu até um susto, mas no final eu gostei do resultado. A parte de trás agora está quase toda cacheada já, mas a parte da frente ainda não, então ainda temos um grande caminho pela frente. Estou animadinha até, porque agora ficou bem mais fácil texturizar. Só com um pouco de creme e amassadinhas fica tudo apresentável, apesar de ele alisar muito rápido na parte da frente ガーン.
Eu sou assim mesmo, toda vez que fico pra baixo vou lá e faço uma mudança radical, na aparência, na decoração do quarto, na vida, no jeito de pensar. É meu modo de me renovar frente às dificuldades que eu passo, de conseguir forças pra passar por cima de tudo.
A parte boa disso, é que combinei com a minha tia de doarmos o cabelo. Vi isso em vários lugares por aí e achei que seria legal, já que ele estava tão grande. Então, tomara que ele sirva bem à alguém que esteja passando por momentos difíceis também, e traga muita sorte <3.
O tantão de cabelo pra ser doado, ó
Eu estou meio desligada com o blog, e peço perdão, mas como eu disse, tava difícil fazer qualquer coisa nesses últimos dias. Amanhã tem post fotográfico especial de Halloween, espero que fique daora, afinal não tem "feriado" mais legal, né?
A parte boa (?) de ter cortado o cabelo é que agora posso me fantasiar de Velma bem facinho!
Até amanhã, então! ハロウィン

23 de outubro de 2014

O restaurante universitário



Acordar, comer, ir trabalhar. Trânsito. Comer, estudar, estudar, estudar. Exercitar, tentar estudar e não conseguir, comer, dormir.
Não sei quanto tempo faz que estou presa nessa roda de camundongo, correndo, correndo, correndo e não chegando a lugar nenhum.
Não consigo mais me imaginar no mundo, não consigo mais olhar pros lados. Todas as pessoas que eu vejo durante o dia me causam amargor na boca.
Esse amargor. Esse negativismo. Passo tempo demais imaginando como conseguiria me livrar de tudo isso, de toda essa gente, essa rotina sem sentido. Nem sequer consigo ouvir vozes na minha cabeça, não consigo alucinar, sou antissocial demais para isso.
Desenvolvi um senso absurdo de julgamento. Cada pessoa por quem eu passo tem seu destino todo traçado em minha cabeça, eu sei o que ela quer, pra onde ela vai. Sei da sua felicidade superficial, do seu desejo por aquela menina bonita do segundo ano.
Mas eu não sei pra onde vou, por onde vou.
A vida nunca foi tão certa e incerta ao mesmo tempo. Sou autossuficiente, tenho alguém pra amar, tenho uma boa família, tenho alguns amigos e amor próprio, isso não é problema.
Mas estou mentindo pra mim mesma. O problema não está nos sentimentos, não está na solidão. O problema está em mim e no nojo que eu sinto das coisas e das pessoas que me cercam no maldito dia-a-dia, está no desânimo que sinto quando deveria estar estudando e me dedicando ao meu futuro. Me sinto trancada, em casa, na faculdade, no trabalho. Quero sair, quero ver o verde das árvores, quero sentir o vento no meu rosto e quero fotografar cachorrinhos e estrelas. Quero levar meu namorado pra descobrir coisas bonitas comigo, quero sair para fazer compras com as minhas amigas.
Mas quando eu entro no restaurante da universidade e vejo todas aquelas pessoas que parecem muito realizadas com seus grupos de amigos e suas reclamações mundanas eu só sinto vontade de voltar para a prisão da minha casa, meu quarto, minha cela, a cela mais aconchegante e bonita que eu poderia desejar. Porque se eu não voltar praquela cela, sabe-se lá aonde meu ódio vai me levar.
Queria poder levar todas as pessoas que amo praquela cela e abrir a janela, e apagar todas as luzes da cidade, assim poderíamos procurar discos voadores juntos.
Ou quem sabe me mudar pra um lugar só meu, no meio do nada, onde a droga do diploma universitário não faria falta e eu pudesse viver do jeito que quisesse e me dedicar a todas as milhares de coisas diferentes que me interessam, e onde eu pudesse receber qualquer amigo e qualquer membro da família.
Eu nem mesmo sei o que há de errado comigo, talvez nada.

Nesse momento eu só queria duas coisas: conseguir me concentrar nos estudos, e umas férias bem longas no colo da minha mãe. 
 
Flying Saucer